top of page

Universidade Católica passa a integrar a Cátedra Unesco UniTwin

A Arquidiocese de Santa Maria celebra o ingresso da Universidade Católica de Santa Maria, a Universidade Franciscana, na Cátedra da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Dom Leomar Antônio Brustolin, Arcebispo de Santa Maria e Chanceler da Universidade Franciscana participou da solenidade de lançamento da Cátedra na UFN e destacou a importância de usar expressões como "Educa e Transforma". "Num tempo de tanta competitividade, está na hora de pensarmos na coletividade. Que bom que a gente usa essas expressões "Educa e transforma", pois temos que educar para transformar. É um momento histórico para a Universidade Franciscana mas também para o município de Santa Maria, em termos de internacionalização do ensino", ressaltou o arcebispo.

A Cátedra UNESCO – A Cidade que Educa e Transforma busca estabelecer pontes entre o mundo acadêmico, a sociedade civil, as comunidades locais, a pesquisa e a formulação de políticas. Lançada em Portugal, em fevereiro deste ano, a Cátedra congrega 12 Instituições de Ensino Superior de Portugal, Brasil e Guiné-Bissau. O Programa de Cátedras foi lançado em 1992 junto com o programa UNITWIN (University Twinning), destinado à formação por meio do intercâmbio de conhecimentos e o espírito de solidariedade entre os países em desenvolvimento.

O lançamento da Cátedra UNESCO UniTwin – A cidade que Educa e Transforma ocorreu na manhã desta quarta-feira (dia 7), no Salão Azul da Universidade Franciscana. Estiveram presentes Dom Leomar Antônio Brustolin, Arcebispo Metropolitano e chanceler da UFN; a professora Iraní Rupulo, reitora da UFN; Rodrigo Décimo, vice-prefeito de Santa Maria, professora Jaqueline Moll, Coordenadora nacional da Cátedra Unesco Cidade que Educa e Transforma; professora Solange Binotto Fagan, vice-reitora da UFN e integrante do grupo de professores pesquisadores da Cátedra; professor Marcio Tascheto da Silva, coordenador da Cátedra na UFN, além de autoridades locais, institucionais e convidados.

“Este é um programa da UNESCO que incentiva competências exclusivas dentro das Universidades e a Rede de Cooperação Acadêmica Internacional, então a UNESCO tem inúmeras propostas de temas pertinentes e importantes para o mundo na atualidade”, explica o coordenador da Cátedra na UFN, professor Marcio Tascheto da Silva. Em interface com governos locais e com experiências de governança participativa, esta Rede propõe a produção de conhecimento que colabore para a troca e aprofundamento de experiências que considerem o ‘pensamento global’ e a ‘ação local’. O professor detalha que a Cátedra da UNESCO/UniTwin – A Cidade que Educa e Transforma nasce com a ideia de congregar países de Língua Portuguesa e aproximar as Universidades nesta perspectiva de aprofundar a dimensão da internacionalização acadêmica e a atuação nos territórios em que estas Instituições estão inseridas. A professora da Universidade Federal do Rio Grande (UFRGS), Jaqueline Moll, que é pesquisadora e coordenadora nacional da Cátedra UNESCO UniTwin – A Cidade que Educa e Transforma, aponta que a perspectiva desse esforço civilizatório está conectado com questões fundamentais das organizações da vida em sociedade: “Nós temos muito para caminhar e esta oportunidade abre muitas dessas portas, a importância da Universidade Franciscana ter abraçado algo desse tamanho que não é pouco, e abraçou porque tem capacidade para isso. A construção dessa Cátedra se coloca na perspectiva de interagir com outras instituições que nos primeiros anos virão trabalhar conosco, se somarão a esse esforço. Como que nós colocamos exatamente na perspectiva do diálogo interinstitucional, do diálogo entre atores sociais e a alegria de estar nesse lugar com tantas representações. Só esse esforço produz a educação, nós colocamos esse esforço civilizatório, também o esforço de mudança de paradigma educacional”.

A vice-reitora, professora Solange Binotto Fagan destaca que esta é a primeira Cátedra que a UFN integra e visa o grande intercâmbio cultural e científico entre Universidades brasileiras e de outros países. Assim, é fundamental que a Universidade esteja inserida neste espaço de globalização e internacionalização do conhecimento. A vice-reitora faz parte do grupo de professores pesquisadores da Cátedra que é constituída dos seguintes eixos de trabalho: Direito à cidade; Territorialidade, identidade e cidadania; Educação na cidade; Participação, Organização, Gestão e Desenvolvimento Local; Vida, Sustentabilidade e Transição Ecológica. Serão estes grupos de trabalho os responsáveis por estruturar os processos de pesquisa, as ações de ensino e as cooperações acadêmicas. Esta relação entre a educação e as cidades colabora para a construção de sociedades do conhecimento por meio de diferentes estratégias.


Com informações e fotos da Assecom/UFN.

Comentarios


bottom of page