top of page

Inaugurado o novo Presbitério da Basílica da Medianeira

Nesta manhã de sábado, dia 04 de novembro, foi inaugurado o novo presbitério da Basílica de Nossa Senhora Medianeira, em Santa Maria. A obra, que iniciou ainda no primeiro semestre de 2023, foi apresentada aos devotos e devotas as 6h da manhã, quando a Basílica foi aberta à comunidade.

Com olhos atentos e corações preenchidos com a Graça do Espírito Santo, mais de 1 mil pessoas participaram da celebração que, desta vez, foi iniciada do lado de fora do Santuário, com a procissão de entrada de todo o clero reunido ao povo de Deus da Arquidiocese de Santa Maria.

Destaca-se o imponente Cristo Total, que agora compõe o presbitério, aliado aos vitrais laterais azuis, compostos por ramos de oliveira junto da palavra Hosana e, também, a um vitral superior, com a imagem da pomba branca, o Espírito Santo.


O Arcebispo de Santa Maria, Dom Leomar Brustolin, afirmou: "O que estamos percebendo aqui é o ponto principal de toda revitalização da Basílica. O centro da Basílica agora é o Cristo, é Ele o centro de nossa fé. A Medianeira nos chama aqui para ficarmos sob o olhar d'Ele".

"Este é o Cristo Total de Santo Agostinho. Há 7 títulos de Cristo aqui na Basílica: o Crucificado, pois tem as feridas da cruz; o Ressuscitado, pois ele está em pé, sob o escabelo, que é o apoio onde Jesus fica em pé; Ele é Rei; pois tem uma coroa, uma coroa de espinhos; o Sagrado Coração de Jesus, pois tem o coração para o lado de fora; no coração jorra sangue e água, por isso é o Cristo da Misericórdia; é o Bom Pastor, pois está de braços abertos para acolher todas as ovelhas; e também é o Mediador, que une o céu e a terra", explicou.


O reitor do Santuário Basílica, Pe. Cristiano Quatrin, agradeceu a todos os que auxiliaram para que a obra fosse concluída: "Hoje com certeza é um dia muito especial. Quando entrávamos aqui hoje pela manhã eu pensava "tudo valeu a pena". Muito obrigado pela compreensão de todos, pelas vezes que tivemos que fechar o Santuário, obrigado por todos que rezaram e torceram para que tudo desse certo".


A partir de agora, as missas voltam a ser celebradas no Santuário, nos horários das 8h, 10h, 16h e 18h.


Conheça o Cristo Total:


Santo Agostinho de Hipona foi quem criou o conceito de Cristo total. Trata-se da compreensão que pressupõe a união, sem divisão das duas naturezas de Cristo: a divina e a humana, na unidade de sua pessoa. Em Jesus Cristo, o Verbo Eterno une-se à natureza humana sem perder sua divindade. É como humano que o Senhor é crucificado, e é por ser Deus que ele glorifica o ser humano.

Jesus Cristo, em sua humanidade, é a Cabeça da Igreja, e nós somos os membros desse corpo. Por meio de sua Igreja, Jesus Cristo, a Cabeça, está no tempo; mas também está — porque ressuscitado — fora do tempo. Ele está conosco e em nós, mas igualmente está acima e além de nós. Esse é o Cristo total.


A obra:


A escultura do Cristo Total que está no presbitério da Basílica da Medianeira foi realizada em 2023 por dois escultores de San Antonio de Ibarra, no Equador, que vieram a Santa Maria pelos vínculos religiosos com o Instituto Secular Murialdo. Os escultores são Germán Benavides e Cristobal Yepes. Os custos da obra foram subsidiados por doação de pessoas devotas da Medianeira.

A obra foi executada em madeira brasileira de reflorestamento, mede 3 metros de altura e foi policromada pelo artista Airton Schuch. A coroa de espinhos foi confeccionada em metal e pedras semipreciosas brasileiras pela Ir. Maria Roseli de Shoenstatt. A cruz mede 5 metros de altura.


A simbologia:


O Cristo está representado na cruz, por isso é o Crucificado em sua humanidade, mas está de olhos abertos e com os pés apoiados como num escabelo, indicando que está vivo e vencedor, é o Ressuscitado e se revela em sua divindade. Ele está ornado de uma coroa de espinhos confeccionada em metal dourado e pedras. Trata-se do Cristo Rei do Universo, que reina na cruz, onde deu a sua vida para nos salvar.

Igualmente, seu perizônio (a veste que cobre Jesus) na cor ouro indica que ele é Deus, pois se reveste de luz. Sua soberania se realiza pelo serviço e não pelo domínio. Em seu peito, representa-se o coração adornado com raios dourados, é o Sagrado Coração de Jesus que é manso e humilde e ao mesmo tempo revela o coração do Pai que é amor.


Do coração de Cristo, jorram sangue e água, Ele é a Divina Misericórdia. Do seu lado aberto pela cruz, jorrou a água do Batismo e o sangue da Eucaristia, sacramentos da misericórdia infinita de Deus que renovam e sustentam a vida de todos os seus discípulos. Ele está representado com os braços abertos em forma de acolhida e abraço, pois é o Bom Pastor, que dá a vida por suas ovelhas e as acolhe para que possam chegar ao Pai.


Ele está no presbitério da Basílica e todos os olhares se voltam para ele, Único Mediador entre o céu e a terra, que pela sua encarnação convidou a Virgem Maria para participar de forma subalterna a essa mediação da Graça, por isso ela é a Medianeira.


A cruz:


A grande cruz que sustenta o corpo do Senhor, está ornada com os símbolos dos quatro evangelistas. No centro está Cristo Crucificado e ressuscitado, o mistério pascal é o compêndio dos 4 evangelhos e de toda a fé cristã.

  • O anjo representa São Mateus.

  • O leão representa São Marcos.

  • O touro representa São Lucas.

  • A águia representa São João.


O Cristo está no presbitério da Basílica e diante dele está o altar da Eucaristia, pois o centro de todo templo é a mesa na qual se atualiza do sacrifício de Cristo e se faz a memória do Cenáculo e do Calvário. Na ceia e na cruz, o céu tange a terra e o Cristo se abaixa até nossa pobreza, para que possamos nos encontrar em sua grandeza. Seu olhar está fixo sobre quem entra na Basílica, como que a dizer a cada peregrino: Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e por toda eternidade. (Hb 13, 8)





Comentários


bottom of page